Você está financeiramente pronto para imprevistos ou para a aposentadoria?

 

O preparo financeiro para qualquer situação não é o mesmo que ter um grande patrimônio ou uma grande renda. Se você já está numa situação mais confortável, tanto melhor. Mas há medidas que você pode e deve tomar mesmo ainda distante da independência financeira.

Estar financeiramente pronto para imprevistos ou aposentadoria é:

1 – Assumir o controle sobre suas finanças

Para isso, você deve ter um controle do que entra e do que sai (valem planilhas e aplicativos), lembrando que é mais importante o que você faz com o que ganha do que quanto você ganha.
Reduzir os grandes gastos (moradia e automóvel, por exemplo), em vez de apenas cortar o cafezinho, vai ajudar a baixar outras despesas atreladas e você terá mais dinheiro para os demais passos.

2 – Blindar-se contra o fracasso

Aqui entra o papel dos seguros, para proteger seu patrimônio e sua renda. E por falar em proteger a renda, aqui fica claro como mesmo quem ainda está construindo o patrimônio pode tomar uma das melhores medidas para estar financeiramente pronto: No seguro de vida existe uma cobertura que você pode contratar para justamente garantir sua renda no caso de afastamento do trabalho por acidente ou doença. Assim, seu planejamento financeiro não fica comprometido.
Se você fez bem a etapa número 1, acima, sobra tanto para a proteção dos seguros quanto para a etapa seguinte.

3 – Investir para aposentadoria ou projetos futuros

Em vez de falarmos de aposentadoria, é preferível adotarmos a expressão “independência financeira”. Afinal, é claro que é preferível não corrermos o risco de não estarmos nas melhores condições para continuar trabalhando e sermos obrigados a trabalhar por não termos reservas financeiras. Mas, além disso, hoje em dia é comum chegarmos na idade em que poderíamos nos aposentar e ter disposição de sobra para continuar trabalhando. Então, mesmo nesta situação é importante ter atingido a independência financeira, pois você pode trabalhar em algo que gosta, e não porque precisa.
Para isso, um grande aliado é a Previdência Privada, que pode lhe dar acesso a rentabilidades diferenciadas com a garantia de que as regras não vão mudar como acontece na Previdência Social.
E, com o tempo, você pode reduzir as coberturas do seguro de vida, porque já terá acumulado um valor significativo na Previdência Privada, que você mesmo pode utilizar em vida, ou que pode ser liberado para dependentes sem passar por inventário. Assim, você reduz custos com seguros ao mesmo tempo em que continua protegido.

Quer ajuda neste processo? Fale conosco: sorella@sorellaseguros.com.br ou 47 3222 0284.

O que o dono de uma pequena empresa precisa saber sobre seguros

 

Um seguro comumente contratado pelas empresas é o Seguro Compreensivo Empresarial. Ele tem uma função parecida com a do Seguro Residencial. O que muitos não sabem e acabam não aproveitando é que, também como ocorre no Seguro Residencial, o Seguro Empresarial também pode ter serviços de assistência que podem ser acionados durante a vigência. Desta forma, mesmo que o seguro não seja utilizado por causa de um sinistro (tanto melhor, aliás), o empresário pode chamar eletricistas, encanadores e serviços de descarte, por exemplo, sem precisar pagar a mais por isso, e gerando economia para o negócio.

 

E, se o empresário contrata o Seguro Compreensivo por entender que algo de ruim pode acontecer com sua empresa, convém lembrar que, na mesma hora, membros da sua equipe podem estar dentro da empresa. Aqui entra a proteção fornecida pelo Seguro de Vida.

 

O Seguro de Vida vai garantir que a empresa não precise retirar do caixa o valor para indenizar ou o colaborador no caso de uma invalidez, ou sua família no caso de morte, além de evitar multas sindicais nos casos em que o ramo da empresa tem uma convenção coletiva que exige este seguro.

 

Além disso, o próprio empresário pode incluir para si coberturas diferenciadas, aproveitando que a contratação como pessoa jurídica é mais barata do que como pessoa física.

 

Tanto no Seguro Compreensivo Empresarial quanto no Seguro de Vida, deve-se estar atento para a contratação de coberturas pertinentes, e com valores suficientes. Assim, garante-se que, se necessário, a indenização será recebida, e num valor que realmente fará a diferença.

 

E, é claro, existem outros seguros que podem tanto ajudar na proteção financeira quanto na retenção de talentos. É o caso, por exemplo, dos seguros de Responsabilidade Civil e seguro Saúde.

 

Para mais informações, ou cotações, fale conosco: 47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br.

Como o seguro de vida pode ajudar a garantir sua aposentadoria

 

Quando você não tem um Seguro de Vida com coberturas para as possíveis situações de invalidez ou afastamento temporário do trabalho, caso lhe aconteça de um acidente ou doença lhe impedirem de trabalhar, a sua renda fica comprometida e, consequentemente, também fica qualquer projeto que, querendo ou não, depende da sua renda.

 

O pagamento do INSS também depende da nossa renda. Contudo, ao vermos que a aposentadoria via Previdência Social tende a ter regras que dificultam cada vez mais uma vida digna no futuro, a orientação de consultores financeiros tem sido a de contribuir para o INSS com o mínimo possível, ao mesmo tempo em que buscamos proteção financeira de outras formas. Veja algumas delas:

 

Para garantir sua tranquilidade na aposentadoria, você pode ter:

– Investimentos em dinheiro que lhe rendam juros suficientes para lhe manter;

– Imóveis cujos aluguéis cubram suas despesas;

– Um projeto empreendedor que lhe permita retiradas em forma de pró-labore ou distribuição de lucros para seu sustento.

– Uma previdência privada que venha a lhe render pagamentos mensais ou um montante que você pode sacar de uma vez só para administrar por conta própria a partir de então.

 

Qualquer das alternativas acima precisam ser construídas a partir da renda que você tem agora, e que deve, preferencialmente, aumentar com o passar do tempo.

 

Por isso, lembre-se que uma vida mais modesta vai lhe permitir tanto investir para seu futuro quanto para ter o seguro que vai garantir a renda para que os investimentos não precisem ser interrompidos, da mesma forma que o patrimônio que você já tiver construído não precisará ser desfeito.

 

Assim, você pode ficar tranquilo não só no futuro, mas desde agora.

 

Para cotações, entre em contato: sorella@sorellaseguros.com.br ou 47 3222 0284

 

2 passos para garantir seu futuro com seguro de vida e previdência privada:

 

Já escrevemos aqui sobre como compensar as perdas com as mudanças na Previdência Social. E como não podemos contar apenas com o INSS para garantirmos uma vida tranquila, convém pensarmos em alternativas para as perguntas:

Se lhe acontecesse algo e você não pudesse trabalhar (mesmo que temporariamente), quanto tempo você poderia viver sem sua renda?

Se você chegar a uma idade em que não consegue mais desenvolver a atividade que lhe gera renda, como você se manteria até o fim da vida?

Se você não voltasse para casa hoje, como a família se sustentaria?

 

É aqui que entram as soluções de seguro de vida e previdência privada para garantir seu presente e seu futuro em 2 passos:

 

1 – Enquanto você ainda é jovem, tenha tanto seguro de vida quanto previdência privada:

O seguro de vida será para garantir sua renda nos casos de afastamento temporário no caso de invalidez, e/ou para garantir o sustendo da família no caso do seu falecimento. A previdência privada será para sua aposentadoria ou projetos futuros. Mesmo quando a preocupação é ter renda no futuro, ter o seguro além da previdência garante que você vai poder continuar com as contribuições para a previdência graças ao seguro.

 

2 – Na medida em que o tempo passa, revise suas coberturas de seguro, podendo priorizar a previdência privada:

Assim que você vai atingindo uma idade mais avançada, sua previdência privada tem boas chances de já ter acumulado um valor significativo. Neste caso (e com ajuda do seu corretor) a cobertura do seu seguro para o caso de morte, por exemplo, pode ser reduzida ou, até mesmo, eliminada. Afinal, o montante que você juntou na previdência já cumpre o papel de proteger os projetos dos seus dependentes.
Mesmo outras coberturas do seguro de vida podem ser revisadas e talvez até retiradas da apólice.

Se você ainda não tinha pensado nisso, entre em contato: 47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br

Vamos planejar e garantir seu futuro!

Carta Verde – O seguro obrigatório para viagem de carro pelo Mercosul

 

Quando vamos para Argentina, Paraguai, Uruguai ou demais países do Mercosul, ou quando nossos vizinhos destes países vêm para o Brasil de carro, um seguro se faz obrigatório desde 1994: O Carta Verde.

 

Graças a este seguro, você é reembolsado caso precise pagar por ser civilmente responsável por danos pessoais, danos materiais, despesas médico-hospitalares, invalidez permanente ou morte causados por acidente.

 

A vigência neste seguro é deve ser a mesma do período de permanência no país vizinho. E para maior tranquilidade das famílias, não é uma má ideia contratar para uns 2 dias a mais, para o caso de, em algum imprevisto, precisar ficar mais tempo e continuar coberto.

 

Algumas seguradoras oferecem gratuitamente o Carta Verde como cobertura em suas apólices de Seguro Auto. E independentemente de estar incluso ou não no seguro do veículo, é importante lembrar que pode e deve ser contratado mesmo por quem não tem o seguro do automóvel, já que a ideia do Carta Verde é abranger terceiros.

 

Principalmente no sul do Brasil, não são poucas as famílias que optam por pegar a estrada, tendo como destinos preferidos a Argentina e o Paraguai, na Tríplice Fronteira.

 

Fale com a Sorella e viaje tranquilo: 47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br.

5 Erros a evitar sobre Seguro Residencial

 

Mais de 80% dos lares brasileiros não têm seguro residencial, segundo dados da FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais). Entretanto, mesmo a minoria que está segurada acaba não estando totalmente protegida devido a erros comuns ao contratar, ou por achar que o seguro do condomínio previne todos os problemas.

 

Confira 5 erros comuns envolvendo seguro residencial:

 

1 – Não contratar por morar em apartamento

Os condomínios são obrigados por lei a ter seguro. Entretanto, as unidades autônomas não têm todos os riscos cobertos pelo seguro do condomínio. Veja o erro número 2, abaixo:

 

2 – Não incluir cobertura para conteúdo

Ao cotar e contratar, é importante que seja incluída a cobertura para conteúdo, pois caso aconteça o pior, os prejuízos não envolvem apenas a construção em si. Móveis e eletro-eletrônicos, por exemplo, também precisarão ser repostos.

 

3 – Não incluir cobertura de furto/roubo

Esta costuma ser uma cobertura cara. É comum, por exemplo, que uma cobertura de roubo para algumas dezenas de milhares de Reais custe o mesmo que a cobertura de incêndio de centenas de milhares de Reais. Contudo, isso mostra justamente como a cobertura de furto e roubo é importante. Afinal, quando uma cobertura é mais cara, isso é sinal de que, estatisticamente, ela é mais acionada, justamente por ser um sinistro que ocorre com mais frequência.

 

4 – Contratar coberturas abaixo do ideal

Na tentativa de deixar o seguro mais barato, muitas vezes os valores de coberturas são subdimensionados. O que é importante lembrar, neste caso, é que se ocorrer um sinistro, o valor recebido não será suficiente para repor os prejuízos.

 

5 – Não incluir serviços de assistência

As assistências que podem ser incluídas no seguro residencial representam uma alteração pequena no valor final, mas podem representar uma grande economia durante a vigência da apólice. Você pode acionar assistências para, por exemplo: conserto de eletrodomésticos, serviços hidráulicos, serviço de chaveiro, limpeza de caixa d’água, de calha e de ar-condicionado, entre outros serviços.

 

Quer contratar corretamente e ficar verdadeiramente tranquilo? Fale conosco:

47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br

3 Dicas para reduzir custos com seguros

 

A teoria é simples: Quanto menos risco você ou seu negócio oferecem, menos as companhias seguradoras precisam cobrar. Veja todas as dicas:

 

1 – Na empresa, faça Gerenciamento de Risco

Já escrevemos aqui sobre as vantagens do gerenciamento de risco. Ter sistemas de segurança, extintores e sprinklers, por exemplo, ajudam a puxar para baixo os custos do seguro, além de prevenirem a própria necessidade de acionar o seguro por conta de um sinistro.

 

2 – No caso do Seguro de Vida

Aqui temos mais 3 “sub-dicas” 🙂

a – Cuide da saúde
Há uma Declaração de Saúde no momento da contratação do Seguro de Vida Individual que precisa ser preenchida pelo cliente. Quanto melhor nosso histórico de saúde, maior a aceitação e menores as chances de o seguro custar mais.

b – Contrate ainda jovem
Faixas etárias maiores demandam investimento maior, mas a contratação quando ainda somos jovens ajuda a manter os custos mais acessíveis à medida em que a idade avança.

c – Contrate como PJ
É bem comum que um Seguro de Vida em Grupo permita a contratação para sócios e colaboradores pelo mesmo valor de um seguro individual.
Claro que isso depende da quantidade de vidas no grupo, mas geralmente, uma mesma cobertura e um mesmo valor de cobertura, por pessoa, ficam mais baratos por pessoa no seguro de vida empresarial.

 

3 – Contrate com Corretor de Seguros

Mesmo aqui no site da Sorella temos as opções de contratação online. Entretanto, como em qualquer site em que você tiver esta opção, a contratação online direciona para o site de uma seguradora específica. Neste caso, você fica sem o comparativo que o corretor faria para você consultando as demais seguradoras. Contratar online torna-se interessante se você faz questão daquela seguradora específica e, melhor ainda, se você adquiriu através do site com a consultoria do corretor.
Evite também a contratação de seguros com banco, pois normalmente o banco tem apenas uma seguradora parceira, e novamente você fica sem parâmetros.
Para não deixar de ter um comparativo, nada como ter um corretor que esteja cadastrado nas mais diferentes seguradoras para ter certeza de que a melhor cotação foi encontrada para você.

Para mais dicas ou cotações, entre em contato:
47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br

3 Coisas sobre Seguro Residencial que você provavelmente não imagina

 

Aproveitando a grande base de clientes da corretora, fizemos uma pesquisa entre aqueles tinham seguros de outros ramos (automóvel, vida, saúde, empresarial, etc.,), mas que não tinham o seguro de residência contratado conosco e chegamos a alguns números interessantes:

 

Seguro Residencial para Imóvel de Madeira

Pouco mais de 63% das pessoas não sabiam que é possível contratar seguro para casa de madeira. O que acontece é que no restante do país, realmente as seguradoras acabam não aceitando por entenderem que são casas mais sujeitas a incêndio. Mas, no sul do Brasil, por ser uma questão cultural e por termos casas de madeira muito bem cuidadas, é possível, sim, fazer seguro para imóvel de madeira ou misto.

 

Valor de investimento

Também perguntamos sobre quanto as pessoas imaginam que custa um seguro residencial para um imóvel de R$ 300.000,00 em Blumenau. 38% acham que seria mais caro que o seguro de automóvel. E, na verdade, costuma ficar abaixo de R$ 500,00 por ano. Repare, portanto, que um valor bem mais acessível protege um patrimônio muito maior.

 

Serviços inclusos no Seguro

42,1% dos clientes não sabiam que o seguro residencial pode incluir serviços como chaveiro, eletricista, encanador, vidraceiro, limpeza de calha, limpeza de caixa d’água, conserto de eletrodomésticos, entre outros que podem ser acionados sem custo adicional durante a vigência do seguro.

 

Ou seja, além de proteger o seu lar para as situações em que você viaja e o imóvel fica mais sujeito a furtos ou roubos, e pela proteção já conhecida contra vendavais, incêndios, danos elétricos, etc., o seguro residencial pode até mesmo contribuir para a prevenção de doenças como dengue, por conta de serviços como a limpeza de caixa d’água.

 

Além disso, os demais serviços inclusos, muitos sem custo adicional, acabam contribuindo para você economizar.

 

Solicite cotação: 47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br

Alerta sobre Seguro Empresarial: Conheça a Cláusula de Rateio

Na tentativa de reduzir custos com seguros, muita gente costuma contratar coberturas com valores mais baixos que o ideal. Um exemplo típico: no seguro auto, coberturas contra terceiros que podem não servir para repor nem o para-choque de determinados modelos de veículos.

E o fato de os brasileiros normalmente contratarem coberturas insuficientes acaba levando a um problema maior no caso dos seguros compreensivos empresariais/patrimoniais. Neste caso, o problema vai além da possibilidade de não receber o suficiente: Pode-se não receber nem mesmo o valor da cobertura contratada, devido à chamada “cláusula de rateio”.

Quando existe a cláusula de rateio, o segurado assume uma proporção da indenização do seguro quando o valor em risco declarado for inferior ao valor em risco apurado no momento do sinistro.

Portanto, com Risco Relativo, em que o bem segurado pode não ter dano total, aplica-se o rateio (diferentemente de quando a contratação é com Risco Absoluto, em que a seguradora assume o total do prejuízo, limitado apenas ao limite da garantia e deduzindo as possíveis franquias).

Como o Risco Relativo é comum no seguro compreensivo (já que o bem segurado pode não ter dano total), convém conferir um exemplo de rateio:

Imaginemos que o segurado tenha informado que a Importância Segurada (IS) é de R$ 100.000,00. Ocorrido o sinistro, o perito (regulador de sinistro) apurou o Valor em Risco (VR) e esse valor era de R$ 200.000,00. E o prejuízo foi igual a R$ 40.000,00.

Como há insuficiência, ou seja, IS < VR será aplicada a cláusula de rateio e o valor da indenização será conforme fórmula abaixo:

Indenização = (IS/VR) × Prejuízos

Ou seja:

Indenização = (100.000,00 / 200.000,00) x 40.000,00
Indenização = R$ 20.000,00

Neste exemplo, reparamos que, mesmo com cobertura acima do valor do prejuízo, ainda acaba-se por não receber o suficiente para repor este prejuízo.

Nos casos em que há franquia e rateio, simultaneamente, primeiro aplica-se a franquia e, depois, as regras do rateio.

Assim, no momento da contratação e da renovação do seguro empresarial, deve-se atualizar o valor da cobertura, tanto pelo CUB (Custo Unitário Básico de construção) quanto por possíveis investimentos na estrutura. Assim você garante que não vai precisar arcar com parte do prejuízo mesmo tendo seguro.

A conta acima, envolvendo cláusula de rateio, não acontece no seguro residencial. No residencial recebe-se o valor contratado (limitado ao CUB). Mas claro que, mesmo não havendo rateio, você deve também conferir se o valor declarado é o suficiente para repor possíveis prejuízos. Ex.: Seu imóvel vale R$ 300 mil e, num incêndio, você perdeu tudo. E você contratou seguro para garantir R$ 200 mil. Neste caso, você recebe os R$ 200 mil sem rateio, mas acaba não sendo o total da sua perda.

Achou complicado? A Sorella está aqui para lhe ajudar com a parte “chata” da análise, para que você possa focar nos seus negócios enquanto garantimos sua tranquilidade.

Fale conosco: 47 3222 0284 ou sorella@sorellaseguros.com.br.

Sorella é notícia na Taba Magazine com dicas sobre Seguros

Clique aqui para acessar a entrevista com Dalva Beduschi, Diretora da Sorella Consultoria e Corretora de Seguros.

A reportagem apresenta informações sobre o mercado segurador, e sobre as soluções: Seguro de Vida, Seguro Saúde, Seguro Residencial, Seguro Auto, Previdência Privada, entre outros.

Errata:

Na matéria, onde consta a informação de que apenas 7% dos motoristas não têm seguro auto, a informação correta seria: 70% dos motoristas não tem seguro auto (apesar de este ser o seguro mais comercializado).

 

Para mais informações ou cotação de seguro, entre em contato:

47 3222 0284

sorella@sorellaseguros.com.br