Blog

Previdência Privada, você sabe as vantagens de se ter uma?

Quando pensamos no futuro, desejamos uma vida tranquila, financeiramente estável e segura para aproveitar da melhor forma. O planejamento financeiro para uma aposentadoria mais tranquila começa hoje, e a previdência privada pode ser uma ótima forma de cuidar do seu futuro.

Viver a melhor idade com tranquilidade é o que todos queremos. Para realizar esse objetivo, quanto antes começar o planejamento, melhor. Dessa forma é possível captar recursos de forma consciente sem deixar de viver o presente.

Com um bom planejamento é possível escolher as melhores opções para o que você deseja, evitando o estresse e tendo a certeza de um retorno financeiro. A previdência privada é muito utilizada quando procuramos alternativas para uma segurança financeira na aposentadoria, sucessão patrimonial e que ainda conta com diferentes benefícios. 

Com o objetivo de trazer mais informações sobre previdência privada, previdência social, quais as diferenças entre elas, e os benefícios que você encontra contratando esse serviço hoje, desenvolvemos esse conteúdo para você! Boa leitura.

Pessoa idosa escrevendo em um caderno
Conheça as vantagens em contratar um plano de previdência privada

O que é a previdência privada?

Vamos começar apresentando o que é a previdência privada, caso você ainda não conheça.

A previdência privada é uma aposentadoria particular. Ou seja, é um investimento financeiro que você realiza para o seu futuro, podendo complementar a previdência social paga pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), garantindo um futuro financeiro mais confortável. 

A fiscalização da previdência privada fica por conta da Superintendência de Seguros Privados (Susep). No site da Susep é possível encontrar informações sobre as empresas credenciadas a realizar planos de previdência privada.

Existem diferentes formas de investir na previdência privada. Basicamente, é um investimento que você faz de forma mensal ou anual que vai rendendo com o passar do tempo. Por isso, quanto antes começar, mais o seu dinheiro irá render. Além disso, a previdência privada pode oferecer vantagens fiscais e complementar a renda no futuro.

Ao contratar uma previdência privada irão aparecer dois termos, PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) e VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). Na primeira opção é indicado para quem faz a declaração do imposto de renda completa, pois o imposto de renda incide sobre a totalidade do capital aplicado. Já na VGBL é indicado para quem faz o imposto de renda simplificado, pois o imposto incide sobre o rendimento.

Agora que você conheceu sobre a previdência privada, veja alguns pontos de diferença entre a previdência social que está ligada ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Qual a diferença entre previdência privada e previdência social?


O INSS é o órgão responsável por receber e realizar a distribuição dos pagamentos dos benefícios para os contribuintes. Todo empregado CLT faz a contribuição, que fica retida na folha de pagamento. Além da aposentadoria, o dinheiro arrecadado é utilizado para auxílio-doença e salário maternidade, por exemplo.

Já a previdência privada fica a critério de cada cidadão contratar ou não. Caso contrate a privada é possível receber a previdência social também, uma não anula a outra.

Além da escolha da previdência, existe a diferença na rentabilidade. A previdência oferecida pelo INSS possui uma série de regras que devem ser preenchidas para poder ser utilizada, os pagamentos não são muito atrativos na maioria dos casos. Na previdência social para realizar o resgate são considerados a aposentadoria, por invalidez ou tempo de contribuição.

Já a previdência privada, possui mais flexibilidade, afinal são várias empresas que oferecem esse tipo de serviço. As formas de investimento são mais personalizadas, possuem melhores taxas de rentabilidade, variedade de prazos e formas de resgate.

No recolhimento dos valores para a previdência também há diferenças entre as duas. Na previdência social, como o pagamento é recolhido diretamente na folha, não há opção de pagar um valor diferente ou simplesmente não contribuir. A previdência privada possui diferentes opções quanto ao recolhimento do valor.

Resumindo as diferenças das previdências privadas e social:

  • Obrigatoriedade da previdência social e não obrigatoriedade na privada;
  • Diferença na rentabilidade do investimento;
  • Regras para o resgate mais rígidas para a social e mais flexíveis para a privada;
  • Diferença na forma e método de recolhimento dos valores.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre previdência privada, social e suas principais diferenças veja quais as vantagens em ter uma previdência privada.

Quais as vantagens em contratar uma previdência privada?

Os planos de previdência privada são investimentos para longo prazo, por isso, quanto maior o prazo de investimento e aplicação, melhor. O ideal seria você utilizar a previdência privada como um extra, assim você poderia ter as duas formas de previdência.

Na previdência privada você é quem decide o quanto vai investir por mês, se deseja fazer apenas uma vez ou quando deseja fazer aportes. Além disso, você pode fazer simulações para saber o quanto investir e por quanto tempo.

A forma de receber o dinheiro também fica ao seu critério, podendo ser alterada antes do fim do período.

  • Recebimento integral: recebe o valor investido de uma só vez;
  • Recebimento mensal: recebe um valor fixo mensal, com data de início e término; 
  • Recebimento vitalício: recebe um valor fixo a partir de uma data determinada, que continua sendo pago até a sua morte.

Ainda há a possibilidade de realizar a portabilidade da previdência privada para outros  planos de uma mesma instituição financeira ou para outra instituição.

Agora que você aprendeu sobre previdência privada e suas vantagens, entre em contato com um dos nossos atendentes e encontre a melhor opção para você!

A Sorella oferece diferentes opções de previdência privada com ótima liquidez, rentabilidade  e taxas de administração justas.

Seguro não é gasto, é investimento

Todo mundo quer gastar menos e fazer o dinheiro render mais. Quando falamos de seguro o assunto não é diferente, muitas pessoas ficam na dúvida se contratar um seguro é investimento ou gasto.

Entre os tipos de seguros mais comuns, o que todo mundo procura é proteção e auxílio caso uma situação indesejada aconteça. Apesar de contar com essa ajuda, muitas pessoas acreditam que o valor investido não tem retorno. Mas você já parou para pensar o quanto gastaria, e teria de incômodo, caso não tivesse um seguro? 

Neste conteúdo queremos fazer você refletir sobre como o seguro é um investimento na sua vida. Boa leitura!

Seguro é investimento

Por que investir em um seguro?

Quando tomamos a decisão de comprar um imóvel, um carro, máquinas para a empresa e até mesmo ter uma alimentação saudável, estamos pensando no futuro. Afinal, a decisão de hoje vai refletir no amanhã, mesmo que agora seja necessário fazer um esforço maior.

A contratação do seguro é um investimento para o futuro. Ter um seguro é a melhor forma de proteção para o imóvel, empresa, automóvel e vida. O investimento deve ser feito hoje, e caso for preciso, será colhido no futuro.

Assim como todo investimento, para contratar um seguro é necessário muito estudo e entendimento sobre cada situação, pois diversas pessoas procuram mais do que apenas um seguro. Hoje em dia é possível usufruir de outros serviços como chaveiros, encanadores, assistência 24h e mais, dependendo do plano contratado.

Além da garantia de conseguir o valor, caso algo aconteça, você também conta com outros benefícios. Ao contratar o seguro você não coloca em risco suas reservas de emergência e nem patrimônio. Confira alguns benefícios de contratar um seguro.

  • Suporte à família;
  • proteção ao patrimônio;
  • bem-estar e tranquilidade;
  • proteção financeira;
  • serviços personalizados;
  • serviços de assistência domiciliar para seguro residencial.

Se você está na dúvida de como contratar o seguro ideal e realizar um bom investimento, confira as nossas dicas a seguir!

Como fazer um bom investimento ao contratar o seguro ideal?

Na hora de contratar um seguro muitas dúvidas aparecem, mas a gente está aqui para te ajudar!

O primeiro passo é entender quais são as suas necessidades na aquisição de seguros. O que você deseja ao contratar o serviço, proteção para você e para terceiros? Quais os riscos que você acha que pode sofrer? O que é essencial?

Tendo conhecimento sobre os seus objetivos na contratação do seguro, as suas expectativas ficam alinhadas com o que é oferecido. Sabendo o que é prioridade e o que não, a contratação do serviço se torna mais objetiva.

Outra decisão importante na jornada para investir em um seguro é conversar com um corretor de seguros, para não cair em fraudes. Com a ajuda de um corretor credenciado na Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), o seu processo fica mais seguro e tranquilo. Afinal, você está conversando com um profissional credenciado.

Sabendo o que você deseja e conversando com o profissional certo o próximo passo é comparar propostas diferentes. Questione planos com serviços diferentes e compare além do preço. Verifique valores, franquia, carência, regiões de cobertura e serviços complementares.

Em muitos tipos de seguro é possível personalizar os serviços contratados, tendo um produto exclusivo para você. Após escolher a opção que melhor se adequa com as suas necessidades, não esqueça de esclarecer todas as dúvidas com o corretor. Leia atentamente a apólice e aproveite o seu novo investimento!

Vale a pena investir em um seguro?

Com todas essas informações você ainda está na dúvida se vale a pena investir em um seguro?

Prevenção é o melhor caminho para garantir proteção para seus bens e sua família. Ter um seguro em dia é proporcionar mais tranquilidade para situações difíceis da rotina, como bater o carro. Ninguém espera que isso aconteça, mas estamos expostos a esse tipo de  imprevisto sempre que saímos de carro.

Ter com quem contar em situações como essa pode evitar mais confusão e incômodo. Com o seguro em dia você tem a garantia de preservação do seu patrimônio. 

Contratar um seguro hoje, garante o investimento em um futuro seguro e tranquilo. Se você deseja se proteger e conhecer ainda mais sobre o mundo dos seguros, leia também os  10 mitos sobre seguros que você precisa saber para não acreditar mais.

Seguro empresarial para Pet Shops: proteção para a sua empresa.

Ter um negócio próprio envolve tempo, dinheiro, amor e muita dedicação. Por isso, todo o cuidado para manter a sua empresa segura é essencial. Contratar um seguro empresarial é ter tranquilidade no dia a dia para aproveitar as oportunidades, enquanto a sua seguradora cuida dos riscos.

Independente do segmento da sua empresa, o seguro empresarial te ajuda no planejamento e na prevenção de riscos, dos básicos que fazem parte da sua rotina, até aqueles que você nem imagina. Isso mesmo! Ter um seguro empresarial é vital para a prosperidade do seu negócio.

Assim como o seguro residencial, o seguro empresarial protege o seu patrimônio e o seu cliente final, seja ele empresas, pets ou pessoas físicas. Todos ficam protegidos e colhem os benefícios.

Há seguros empresariais voltados exclusivamente para o ramo de atuação da empresa, como o seguro para pet shop e veterinárias. Cada seguro é preparado para atender as necessidades gerais ou específicas de cada negócio.

Quer saber mais sobre seguros empresariais e seguros para pet shops? Veja as principais informações sobre esses serviços, empresas que podem adquirir, as coberturas mais comuns e seus benefícios.

seguro empresarial para veterinários

Seguros empresariais

O seguro empresarial pode ser visto como um investimento, afinal, não há controle sobre diversas situações. Proteger seu negócio de imprevistos é a melhor alternativa em qualquer ocasião.

O seguro empresarial é um serviço com o objetivo de proteger empresas, independente do modelo que se enquadra. Podem ser indústrias, comércios, lojas ou prestadores de serviços de grande, médio ou pequeno porte. O seguro possui coberturas que são padrões, mas também pode ser personalizado de acordo com as necessidades de cada empresa.

Dependendo da seguradora os serviços oferecidos podem variar, as coberturas mais básicas possuem proteção contra roubo, incêndios, raios, explosões, vazamentos, danos elétricos e vendaval.

A indenização pode ser utilizada para reparos estruturais ou de equipamentos, como móveis, máquinas, veículos ou ferramentas. Lembre-se, é importante verificar na sua apólice quais serviços possuem cobertura.

Se o seu público é exigente e merece cuidados especiais, não deixe de optar por um serviço personalizado, como os seguros para pet shops e veterinárias.

Conheça mais sobre os seguros empresariais voltados para pet shops e veterinárias.

Seguros empresariais para pet shops e veterinárias

Para oferecer o melhor para o seu cliente é necessário personalizar o serviço. Por isso, os seguros empresariais para pet shops e veterinárias contam com vantagens exclusivas e coberturas próprias. Tudo para proporcionar mais cuidado para o pet e seu responsável.

Para oferecer um ambiente tranquilo, seguro e aconchegante para receber os pets e seus proprietários, o seguro disponibiliza auxílio para serviços de chaveiros, encanador, eletricista, vidraceiro e limpeza. Em caso de impedimento das atividades no local, garante as despesas de um novo ponto comercial.

Além das coberturas básicas, os seguros para pet shops e veterinárias contam com serviços exclusivos para esse público, como o auxílio para acidentes com os pets. A responsabilidade civil abrange animais, em casos de danos físicos causados aos animais cobrindo as despesas médico-veterinárias.

Coberturas para equipamentos como soprador, secador, compressor de ar, máquina de tosa e vacinas, que necessitam de ambiente refrigerado.

Algumas seguradoras oferecem cobertura para fuga de animal que possam se acidentar, desaparecer ou morrer, desde que o animal esteja sob a responsabilidade ou guarda do estabelecimento segurado. O reembolso nesses casos engloba as despesas veterinárias e funeral ou cremação.

Muito mais conforto e segurança, tanto para você, proprietário, quanto para seus clientes!

Quer saber quais as vantagens em contratar o seguro exclusivo para pet shops e veterinárias? Acompanhe a seguir.

Benefícios do seguro empresarial para pet shops e veterinárias

Por ser um serviço que envolve cuidar da saúde e bem-estar de um membro de diversas famílias, afinal os animais de estimação tem esse papel, a responsabilidade é grande.

Se você ainda não se convenceu que um seguro empresarial personalizado é sinônimo de segurança para sua empresa e para seu cliente final, confira essas quatro vantagens. Para proteger o seu negócio e a família dos seus clientes, conheça as vantagens do seguro para pet shops e veterinárias:

  • Responsabilidade civil: o seguro cobre os casos mais graves, onde ocorre danos a terceiros e aos pets, como as despesas médico-veterinárias em caso de danos físicos causados aos animais.
  • Equipamentos seguros e em ótimas condições: para cuidar da saúde dos animais é necessário utilizar equipamentos seguros e com alta tecnologia. Caso algum equipamento apresente falha é possível realizar a troca sem se preocupar.
  • Segurança para vacinas: o armazenamento de vacinas deve ser feito com equipamentos apropriados. Em caso de falta de energia elétrica é possível solicitar a reposição de mercadorias, como vacinas, que sofrerem prejuízos.
  • Local protegido: em caso de impedimento do funcionamento no local, há a cobertura das despesas de um novo ponto comercial.

Cada seguradora tem o seu plano de serviços básicos e adicionais, podendo variar os serviços de uma empresa para outra. Procure a seguradora que melhor se encaixa nos objetivos da sua empresa.

Proteger o seu patrimônio hoje é um sinal de organização e cuidado, há riscos que não vale a pena correr. Só você sabe a dedicação e amor investido na sua empresa. Entre em contato com o seu corretor e encontre a melhor opção de seguros empresariais para o seu negócio, seja ele um pet shop ou de outro segmento.

Fique por dentro das novas leis de trânsito

Em 12 de abril de 2021 entrou em vigor as atualizações referente ao Código de Trânsito Brasileiro por meio da Lei 14.071/20.

Neste post iremos trazer os principais pontos que tiveram alteração perante a lei. Se você quer ficar por dentro das novas informações sobre o Código de Trânsito Brasileiro acompanhe o nosso blog. Boa leitura!

Alteração no prazo do reexame e aulas noturnas

Para emitir a sua CNH não será mais obrigatório realizar aulas no período noturno.

Para os alunos reprovados nas provas escrita e prática não há mais o prazo mínimo para realização dos exames. Anteriormente era necessário esperar 15 dias após o resultado para realizar o teste novamente. 

Aumento no prazo de validade da CNH e aviso de renovação do documento

Uma das grandes novidades é o prazo de validade da renovação dos exames de aptidão física e mental.

Se você realizar a atualização a partir de 12 de abril o prazo de validade será maior. Antes era de 5 anos, que agora passa para 10 anos para condutores de até 49 anos de idade. E de 3 anos para 5 anos para condutores entre 50 a 69 anos de idade. Ou seja com a nova atualização os prazos ficam da seguinte forma:

  • Renovação para condutores até 49 anos: validade de 10 anos;
  • Renovação para condutores entre 50 a 69 anos: validade de 5 anos;
  • Renovação para condutores acima de 70 anos: validade de 3 anos.

 

Os prazos de validade podem sofrer alterações dependendo da capacidade de dirigir o veículo de acordo com cada condutor.

Outra novidade é que as entidades executivas de trânsito dos Estados e do Distrito Federal vão avisar com 30 dias de antecedência sobre a validade do documento. 

O aviso será feito por meio eletrônico para os condutores cadastrados no Renach.

Obrigatoriedade de recall para licenciamento e documentos digitais

O documento CNH digital, que pode ser acessado pelo aplicativo do Governo Federal, Carteira Digital de Trânsito, é considerado documento de identidade oficial no território nacional. Ou seja, não é necessário portar a CNH física caso você esteja com a digital.

O Certificado de Licenciamento Anual também será aceito no formato digital, de acordo com o modelo e com as especificações estabelecidos pelo Contran. Podendo ser acessado no aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT)

Outra mudança referente ao licenciamento anual é sobre o recall. Agora se tornou uma obrigatoriedade a partir do segundo ano após o chamamento realizar o procedimento.

Mudança na pontuação

A pontuação para suspensão do documento também teve uma importante alteração. Antes, com 20 pontos durante o período de 12 meses a carteira era suspensa, independente do grau das infrações. 

Com a nova atualização a suspensão passa a ser da seguinte forma:

  • 20 pontos, em 12 meses, se tiver duas ou mais infrações gravíssimas na carteira; 
  • 30 pontos, em 12 meses, uma infração gravíssima;
  • 40 pontos, em 12 meses, nenhuma infração gravíssima. 

 

Para os motoristas que exercem atividade remunerada (EAR), o limite é de 40 pontos em 12 meses independente da gravidade da infração.

Mudança em infrações, recursos e penalidades

Com a atualização foram realizadas diferentes alterações em infrações, recursos, multas e penalidades, acompanhe algumas aqui.

  • Pedestres não podem mais ser multados.
  • Infrações leves ou médias sem repetições no prazo de 12 meses serão consideradas como advertências.
  • É obrigatório o uso do farol baixo somente em rodovias de via simples, em que a divisão dos fluxos opostos é feita por pintura horizontal na cor amarela, e fora do perímetro urbano.
  • É obrigatório acender as luzes em todos os túneis, sob neblina ou cerração. As motos continuam obrigadas a manterem as luzes acesas o tempo todo.
  • Conduzir motocicleta com o farol apagado deixou de ser gravíssima e passou a ser infração média.
  • Infração grave com multa de R$ 195,23 e 5 pontos na carteira para os condutores que pararem o veículo em ciclovias ou ciclofaixas para embarcar, desembarcar passageiros ou como estacionamento.
  • Ultrapassar ciclistas também é considerado gravíssimo podendo receber multa de R$ 293,47 e 7 pontos na carteira.
  • Conduzir motocicleta, motoneta ou ciclomotor com capacete sem viseira ou sem o capacete está de acordo com as normas do Contran é considerado uma infração média. Para os casos de usar a viseira levantada a infração é média, antes era infração leve.
  • Aumento no prazo de 30 dias para indicar o condutor e apresentação da defesa prévia.
  • A não realização da transferência do veículo no prazo estipulado de 30 dias é uma infração média com multa de R$ 130,16 e remoção do veículo.
  • Transporte de crianças sem a cadeirinha ou assento de elevação continua sendo gravíssima. Agora há a obrigatoriedade do dispositivo de segurança para crianças de até 7 anos e 6 meses, e para as que têm até 10 anos e 1,45 metros de altura.
  • Transportar crianças com menos de 10 anos de idade em motocicletas é considerado infração gravíssima, com multa e suspensão do direito de dirigir. Antes o transporte era concedido para crianças acima de 7 anos.

Exames Toxicológicos

O exame toxicológico segue para os motoristas com carteira C, D e E no processo de obtenção da CNH a cada 2 anos e meio. Para quem possui menos de 70 anos precisa realizar o exame a cada 2 anos e 6 meses, independentemente da validade da CNH.

Conduzir veículos sem realizar o exame no prazo indicado, corre o risco de receber infração gravíssima, com multa de R$ 1.467,35 e suspensão do direito de dirigir por 3 meses.

Cadastro positivo

Os condutores que não tiverem cometido infrações sujeitas a pontuação nos últimos 12 meses entram para o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC).

Esse cadastro visa que estados e municípios concedam benefícios fiscais e tarifários para os condutores.

Você já sabia de todas essas novidades? Compartilhe nas suas redes sociais com seus familiares e amigos ainda não conhecem sobre a atualização do Código de Trânsito Brasileiro.

Conheça mais sobre seguro transporte

O Brasil é um país imenso, ligado de norte a sul por diversas rodovias. Todos os dias passam milhares de caminhões transportando diversos produtos e matéria-prima de uma ponta a outra. Além do transporte rodoviário, existe o transporte aéreo e marítimo, que faz a circulação de produtos não só pelo Brasil, mas pelo mundo.

Você já parou para pensar na responsabilidade e risco de quem trabalha com transportes? Pois é, muitas vezes não percebemos, mas para uma encomenda chegar em nossa casa ela passa por um longo processo de logística. Até a matéria-prima, para a produção de um produto, viaja quilômetros para chegar no seu destino final.

As empresas responsáveis pelo transporte de mercadorias correm diferentes riscos durante o seu processo. Pode ocorrer extravios, avarias, roubos e furtos de produtos e até acidentes. Para prevenir riscos de perdas causadas a bens e mercadorias em viagens terrestres, aéreas e marítimas existe o seguro transporte.

Se você nunca ouviu falar desse tipo de seguro ou ainda possui dúvidas, acompanhe o texto. Boa leitura!

seguro transporte

O que é o seguro transporte?

O seguro de transportes é um serviço voltado para a necessidade das transportadoras com a locomoção de produtos. Ou seja, o seguro transporte garante ao segurado a indenização por eventuais prejuízos que podem acontecer as cargas transportadas durante o trajeto.

O seguro transporte é válido para o momento de deslocamento, do ponto inicial ao ponto final da entrega. Sua cobertura inclui o transporte terrestre, aéreo, marítimo nas modalidades nacional ou internacional. Se você deseja proteger a sua mercadoria, não deixe de entrar em contato e realizar uma cotação.

Para o seguro transporte existe a modalidade obrigatório e facultativo. Continue a leitura e conheça mais sobre como funciona o seguro transportes.

Seguro transportes, como funciona?

Para o transporte de mercadorias há dois tipos de seguros: RCTR-C (Responsabilidade civil do transportador rodoviário de carga) e RCF-DC (Responsabilidade Civil Facultativa do Transportador Rodoviário por Desaparecimento de Carga)

O seguro de transporte deve ser contratado pelo embarcador, ou seja, o proprietário da carga. Segundo a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) estabelece a obrigatoriedade do seguro de RCTR-C – responsabilidade civil do transportador rodoviário de carga para pessoa jurídica com exceção de órgãos públicos e facultativo para pessoas físicas.

No seguro RCTR-C há cobertura para eventuais danos causados aos bens ou mercadorias de terceiros colocados sob sua responsabilidade, como por exemplo: colisão, capotagem, incêndio ou explosão, que danifiquem a carga transportada.

Responsabilidade Civil tem por finalidade reembolsar o segurado por responsabilidades civis pelas quais possa ser condenado, por danos materiais, corporais e morais e por custos e despesas causados a terceiros quando decorrentes de sua atividade e riscos contratados na apólice.

O seguro de RCF-DC – Responsabilidade Civil Facultativa do Transportador Rodoviário por Desaparecimento de Carga, protege a mercadoria contra perda total ou parcial em situações de: furto, estelionato, extorsão (simples ou sequestros) e apropriação indevida das mercadorias transportadas.

Entenda mais sobre os tipos de coberturas e valores para os serviços de seguro transporte. 

Seguro transporte, quais as cobertura e valores?

O seguro de transportes possui uma cobertura básica e coberturas adicionais, caso for da necessidade do cliente.

Conheça algumas opções de coberturas básicas:

  • Cobertura Básica Restrita (C): garantia de prejuízos que podem acontecer em consequência de perdas e danos materiais causados ao objeto segurado exclusivamente por: incêndio, raio, explosão, encalhe, naufrágio, soçobramento do navio ou embarcação, capotagem, colisão, tombamento, descarrilamento de veículo terrestre, colisão, queda e/ou aterrissagem forçada da aeronave devidamente  comprovada.
  • Cobertura Básica Restrita (B): garantia ao segurado os prejuízos que podem acontecer em consequência de perdas e danos materiais causados ao objeto segurado conforme a cobertura anterior adicionando: inundação, transbordamento de cursos d’água, represas, lagos ou lagoas, durante a viagem terrestre, desmoronamento ou queda de pedras, terras, entrada de água do mar, lago ou rio, na embarcação ou no navio, veículo, “container”, furgão (“liftvan”) ou local de armazenagem.
  • Cobertura Básica Ampla (A): garante ao segurado os prejuízos que podem acontecer em consequência de todos os riscos de perda ou dano material sofridos pelo objeto segurado, em consequência de quaisquer causas externas, exceto as previstas na cláusula de prejuízos não indenizáveis.

É sempre importante entrar em contato com a sua seguradora e verificar quais as coberturas do serviço contratado e quais as causas que não estão cobertas.

Sobre os valores, eles podem variar de uma seguradora para outra. Alguns pontos que são considerados são.

  • veículo de transporte;
  • produto transportado;
  • percurso da mercadoria;
  • prazo de cobertura;
  • tipo de cobertura contratada;
  • valores contratados.

Se você não quer correr riscos e quer manter a segurança dos seus funcionários e a qualidade na entrega dos seus produtos, não deixe um serviço tão importante de lado. Entre em contato e faça uma cotação de seguro transporte para sua empresa.

Sinistro: conheça melhor esse termo no mundo dos seguros

Se você já pesquisou ou ouviu falar de seguros, já deve ter se deparado com o termo sinistro. No universo dos seguros há diversas nomenclaturas específicas. Para quem está pesquisando sobre um seguro, pode acabar se confundindo com esses termos. 

Para entender melhor o seu contrato de seguro e os termos desse universo, nós separamos um glossário com as nomenclaturas mais comuns. Seguindo a mesma linha, hoje iremos falar sobre outra situação própria dos seguros, o sinistro.

Quer entender melhor sobre sinistros de seguros? Acompanhe o nosso post. Aqui você irá entender o que é o sinistro, como funciona o acionamento e o modo de usar para terceiros, no caso de seguro auto.

Boa leitura. 

sinistro auto

O que é um sinistro?

Quando você contrata um seguro aparece a informação sobre o sinistro, mas você sabe o que é o sinistro?

O sinistro é a ocorrência de toda situação que possui cobertura no seguro contratado e esteja especificado na apólice. A forma como ocorreu a situação não importa, o que importa para o acionamento do sinistro é se essa situação é coberta e está indicada na apólice.

Por exemplo, você possui um seguro auto que cobre colisões. Caso essa situação ocorra, você pode acionar o sinistro. Quando ocorre o sinistro a seguradora irá indenizar o segurado.

Agora que sabemos o que é o sinistro, vamos entender como ele funciona.

Como funciona o acionamento do sinistro?

A situação pela qual você contratou o seguro aconteceu e agora? Como receber a indenização? Com quem entrar em contato? O que fazer?

Todo mundo contrata o seguro como uma forma de proteção, de cuidado, de preparo para o futuro. Porém o momento de acionar o sinistro não é o mais esperado. A forma de acionar o sinistro pode mudar de seguradora para seguradora e de acordo com o tipo de seguro. Quer saber quais são os seguros mais comuns, acesse aqui.

Quando ocorre o sinistro entre em contato imediatamente com a sua seguradora e informe o ocorrido. A sua seguradora irá orientar sobre a documentação necessária e os próximos passos. 

A Sorella conta com um departamento especializado em sinistros. Neste departamento realizamos todo o processo de acompanhamento, do início ao fim, dos casos de sinistros. Atendimento às aberturas de sinistro, orientações para os clientes, envio de documentos para as seguradoras e acompanhamento da resolução do caso.

Separamos algumas dicas que você deve ficar atento na hora de acionar o sinistro.

  • entenda se a situação que ocorreu é coberta pelo seguro;
  • tenha sempre o contato da seguradora de fácil acesso e ligue em caso de dúvida;
  • no momento de contratar o seguro já pergunte quais documentos e informações você precisará passar para acionar o sinistro.

Os sinistros mais comuns para acionamento são para os casos de seguro auto e seguro de vida. Entenda como prosseguir nestes casos.

Como acionar o sinistro para seguro auto?

No momento você pode ficar assustado e não saber muito bem como agir, porém é importante ter calma e seguir as seguintes instruções.

  1. Para abrir o sinistro será necessário a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), documento do veículo e boletim de ocorrência, quando houver terceiros envolvidos;
  2. Se houve envolvimento com terceiro, realize o Boletim de Ocorrências (B.O);
  3. Caso precise solicitar o guincho, de preferência para solicitar diretamente com a seguradora.

Como acionar o sinistro para seguro de vida?

No seguro de vida as situações podem variar muito como afastamento temporário, invalidez permanente, ou mesmo morte. Nestes casos converse diretamente com o seu corretor, pois cada situação irá solicitar documentos específicos.

Em alguns casos é necessário verificar o tempo de franquia e carência, como nos casos de diária por incapacidade temporária. Comprovar a situação através de exames médicos como os seguros voltados para doenças graves, entre outros documentos.

Solicitar o sinistro do seguro não precisa ser uma tarefa difícil, sempre que você tiver qualquer dúvida pode entrar em contato com o seu corretor e questionar. Entender o seu seguro e o que envolve sobre prazos, carências, coberturas e franquia já evita confusões.

Conheça 10 mitos sobre seguros que você precisa saber para não acreditar mais e fique ainda mais por dentro do mundo dos seguros.

Conheça a importância do corretor de seguros para não cair em fraudes.

O ano de 2020 foi difícil para todos, muitas incertezas e dificuldades. Uma das alternativas para se prevenir e deixar a família mais segura é a aquisição do serviço seguro de vida. Apesar de ser uma ótima alternativa, é importante tratar esse assunto direto com um corretor de seguros, para não cair em fraudes.

A pandemia do Covid-19 despertou medo e insegurança. Quem já tinha o seguro de vida ou plano de saúde ficou confuso sobre a cobertura durante a pandemia. Poder contar com um profissional corretor de seguros foi fundamental nesse momento de dúvida.

Segundo pesquisas, em 2020 a procura por seguros no Brasil cresceu 6%, a tendência para 2021 é só crescer. Para proteger o consumidor é necessário que esse serviço seja feito direto com o corretor de seguros, mas você sabe por quê?

Neste post vamos falar sobre a profissão do corretor de seguros; importância do papel do corretor e por que realizar esse serviço com o auxílio de um corretor de seguros.

Vamos começar conhecendo um pouco mais sobre essa profissão. Boa leitura!

corretor de seguros

O que faz um corretor de seguros?

Antes de explicar as atividades do corretor de seguros, vamos entender qual o seu conhecimento e a regulamentação da profissão.

O profissional corretor de seguros é tecnicamente e legalmente preparado para intermediar contratos de seguros entre seguradoras e pessoas físicas ou jurídicas. A profissão é regulamentada pela Lei 4.594, de 29 de dezembro de 1964.

Para exercer essa profissão é necessário autorização concedida pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP). A aprovação é feita através de uma prova.

O corretor de seguros faz o intermédio entre o cliente e a seguradora em todo o processo. Quando o cliente deseja adquirir um seguro o corretor é acionado para entender o que o cliente deseja; analisar riscos e oportunidades; indicar serviços condizentes com o que o cliente procura; orientar sobre as cláusulas contratuais e condições de renovação.

Além do auxílio antes da contratação do seguro, quando o cliente precisa acionar a seguradora é através do corretor que é feita essa etapa. O corretor de seguros faz a mediação e verifica as ações necessárias e o cumprimento das cláusulas previstas no contrato.

Agora que sabemos um pouco mais sobre essa profissão de corretor de seguros e algumas de suas atividades, vamos entender qual a importância de contar com esse profissional no dia a dia.

Qual a importância do papel do corretor de seguros?

Como vimos, o corretor de seguros auxilia o cliente em todos os momentos. Desde a escolha do serviço até o acionamento da seguradora, quando necessário.

Com o seu conhecimento de mercado, sobre os tipos de seguros oferecidos por cada seguradora e a necessidade de cada cliente, é possível identificar as melhores soluções. Ou seja, o corretor de seguros indica opções que fazem sentido para seus clientes, oferecendo mais segurança, tranquilidade e assertividade.

O seguro, por ser um serviço que possui variações dependendo da modalidade e do perfil do cliente, exige atenção. A apólice pode ser complexa, com termos sofisticados, para quem nunca contratou esse serviço antes. Um termo ou outro pode fazer total diferença!

O papel do corretor é extremamente importante para deixar claro para o cliente o que o seu seguro cobre e o que não cobre. O corretor de seguros tem a responsabilidade de informar as letras miúdas dos contratos para não deixar seu cliente com dúvidas.

Após a assinatura do contrato de seguro, caso o cliente tenha alguma dúvida, também é possível conversar com o corretor para que esses questionamentos sejam esclarecidos. O corretor de seguros faz a venda e o pós-vendas para esse serviço tão importante.

Por que realizar esse serviço com o auxílio de um corretor de seguros?

Se você ainda não se convenceu da importância desse profissional no momento de contratar um seguro, separamos alguns pontos.

  • Segurança: garantia de contar com um profissional qualificado e regulamentado para tratar as suas necessidades na hora de escolher um seguro.
  • Tranquilidade: sem preocupações se o seguro solicitado é o melhor para o seu perfil, sempre solicite mais de uma opção e compare como o todo, não apenas o valor.
  • Pós-vendas: você pode e deve procurar o corretor de seguros mesmo depois de contratar o serviço para tirar dúvidas.

Contar com um profissional experiente e qualificado na escolha do seu seguro é a melhor maneira de garantir uma boa experiência. Dessa forma você evita dores de cabeça e aproveita o serviço solicitado, quando necessário.

Ficou interessado em conversar com um dos nossos corretores? Entre em contato e solicite qual tipo de seguro você deseja adquirir.

10 mitos sobre seguros que você precisa saber para não acreditar mais

Cuidar e planejar o futuro nunca é demais, para isso os seguros são ótimas opções. Afinal, você tem a garantia de proteção de um bem, caso algo de ruim aconteça.

E no mundo dos seguros existem diversas modalidades, para proteção de imóveis como o seguro residencial, seguro de vida, seguros voltados para viagens, que em alguns países é obrigatório. Todos esses seguros, de acordo com o contrato, oferecem garantias para você.

Mas como qualquer tipo de produto, sempre existem alguns mitos. No post de hoje coletamos 10 mitos, sobre diferentes tipos de seguro, para você não acreditar mais.

Ficou curioso? Acompanhe o texto e boa leitura.

Conheça 10 mitos sobre os seguros.

Seguro de vida, seguro auto, seguro viagem ou para residência. Não importa o tipo do seguro, quando não conhecemos o assunto podemos interpretar algumas situações como verdades, quando não é.

Para esclarecer essas dúvidas vamos começar com um dos mitos mais famosos, o seguro de vida.

pesquisando mitos sobre seguros

1 – Seguro de vida é apenas para morte ou para uso do beneficiário.

Esse é um grande mito. Muitas pessoas antes de contratar um seguro de vida acreditam que o seguro irá cobrir apenas em caso de morte e que o valor ficará apenas para os beneficiários.

Hoje a grande maioria dos seguros de vida é para o titular e não para o beneficiário. Como coberturas para casos de invalidez, doenças graves, assistência funeral, despesas médicas, hospitalares e odontológicas e diária de incapacidade temporária (DIT).

O DIT é o pagamento do valor diário contratado em caso de afastamento da atividade profissional, decorrido de acidente ou doença, cobertos pelo seguro.

O titular pode sim utilizar esse serviço para assuntos relacionados a sua saúde e se for o caso, também deixar uma reserva para os beneficiários escolhidos.

Para saber mais sobre seguro de vida acesse o nosso post sobre Seguro de vida, tudo o que você precisa saber.

2 – Seguro de vida não pode ser contratado por pessoas jovens.

Mentira, acima de 18 anos qualquer pessoa pode contratar um seguro de vida. Quanto mais jovem a pessoa for, mais coberturas terá à sua disposição e menor será o valor cobrado.

Afinal, ninguém sabe o dia de amanhã e se você deseja proteger a sua família, essa é uma ótima opção. 

3 – Seguro auto é mais caro para carros zero km.

Mentira. Para definir o valor do seguro para os carros é necessário levar em consideração diversos fatores, não apenas a quilometragem. 

Alguns fatores que são levados em consideração são: modelo, ano, cobertura escolhida, perfil do segurado, como idade, sexo e histórico, por exemplo.

Confira o nosso post de viagem de carro: dicas de como se planejar e saiba mais.

4 – Seguro auto não tem cobertura para catástrofes naturais.

Mentira, dependendo do tipo de seguro e coberturas que você contrata, pode sim selecionar opções contra catástrofes naturais. Podendo ser, por alagamento, enchente ou inundação, ressaca, vendaval, granizo, terremoto e raios.

Converse com a sua seguradora e pergunte sobre essas opções.

5 – Seguro viagem só pode ser contratado para viagens internacionais.

Esse é um grande mito popular. O seguro viagem para alguns destinos internacionais são obrigatórios, porém nada impede de você contratar esse serviço para uma viagem nacional.

Veja tudo que você precisa saber sobre seguro viagem neste post.

6 – Seguro viagem só cobre casos de doenças.

Quando a gente ouve sobre seguro viagem só vemos coberturas para os casos de doenças e acidentes, mas isso não é regra.

Além de doenças e acidentes, o seguro pode cobrir outros tipos de imprevistos, como: extravio de mala, cancelamento de viagem, atraso de voo e muito mais de acordo com o serviço contratado.

7 – Seguro residencial não cobre serviços de manutenção do imóvel.

Mentira, muitos dos serviços oferecidos para o seguro residencial são relacionados para a manutenção do imóvel. Veja alguns exemplos: chaveiro, eletricista, encanador e diversos relacionados à assistência técnica domiciliar.

Por que fazer um seguro residencial? Acesse o nosso post e descubra os benefícios dessa modalidade.

8 – Seguro residencial não tem uma cobertura ampla contra catástrofes.

A cobertura do seu seguro vai depender dos serviços selecionados, mas no seguro residencial você tem uma ampla variedade. Algumas coberturas oferecem serviços contra: queda de raio, explosão de qualquer natureza, vendaval, granizo, quebra de vidros, desmoronamento, impacto de veículos, danos elétricos, danos a terceiros.

Converse com a sua seguradora sobre as suas necessidades e contrate o que for melhor para a sua situação.

9 – Seguro garantia judicial é oferecido apenas para grandes empresas.

Mentira. O seguro garantia judicial pode ser feito por pequenas, médias, grandes empresas, privadas ou públicas. Seu objetivo é proteger o segurado de possíveis prejuízos ocasionados por descumprimento de um contrato.

Você já ouviu falar sobre seguro garantia judicial? Se a resposta foi não, acesse o nosso post e saiba mais.

10 – Só é possível contratar seguro garantia judicial para processos que ainda não foram iniciado.

Mentira. O seguro garantia judicial pode ser feito para novos processos ou para aqueles que já estão em andamento.

O melhor momento para realizar a contratação do seguro garantia judicial é no início do processo.

Você conhece algum mito sobre o mundo dos seguros?

Esses são alguns mitos que se espalharam por aí. Muitas vezes, quando os clientes chegam até nós, acham que isso é verdade, mas no decorrer da conversa conseguimos responder todas as dúvidas.

Qual deles você achava que era verdade? Você tem alguma dúvida sobre seguros, não sabe se é verdade ou mentira? Deixe seu comentário aqui embaixo que iremos esclarecer essas dúvidas.

Conheça mais sobre o seguro carta verde.

No universo dos seguros existem diversas modalidades e serviços, alguns bem conhecidos e outros nem tanto, e o seguro carta verde é um deles.

Você já ouviu falar sobre essa modalidade de seguro? Se ainda não conhece ou conhece poucas informações sobre o seguro carta verde, acompanhe esse texto e fique por dentro.

Hoje iremos explicar o que é o seguro carta verde, para quem se destina esse serviço, qual a finalidade, as coberturas e quando é o melhor momento para contratar. Ficou curioso? Confira o texto e boa leitura.

viagem de carro

 

O que é o seguro carta verde?

Sabe aquela viagem romântica para a Argentina, um passeio pelas maravilhosas paisagens do Chile, ou um bate e volta no Paraguai? Se você já pensou em realizar uma dessas viagens e, principalmente, realizar elas de carro, você vai precisar do seguro carta verde!

Mas o que esses países têm em comum para precisar de um seguro especial? A gente te conta.

O Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai participam de um grupo econômico chamado 

Mercosul, que se iniciou em 26 de março de 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Nesse grupo econômico há algumas regras que devem ser seguidas, entre elas, o seguro carta verde.

O seguro carta verde é um seguro obrigatório para todos os veículos, não importa se próprios ou alugados, que ingressam em países que participam do Mercosul.

Quer saber porque ter um seguro comum entre esses países? Acompanhe o texto.

Qual a finalidade do seguro carta verde?

O principal objetivo do seguro carta verde é a proteção dos pedestres e motoristas locais. Ou seja, esse tipo de seguro é voltado para quem mora na região que você está visitando.

Consideramos assim, que o seguro carta verde é voltado para terceiros, mas você sabe tudo o que ele cobre? A gente te conta.

Qual a cobertura do seguro carta verde?

As principais coberturas do seguro carta verde são bem simples e práticas, listamos elas aqui para você não ter nenhuma dúvida. Lembre-se sempre de ler e estar ciente do que a sua seguradora propõe sobre esse serviço.

  • danos materiais causados a terceiros; 
  • danos corporais como morte, invalidez permanente e despesas hospitalares causados a terceiros;
  • honorários de advogado para o segurado e qualquer custo judicial.

Lembrando que por se tratar de um seguro fora do território brasileiro os valores são calculados em dólares americano. E os eventos cobertos devem ocorrer fora do país de matrícula do veículo.

Os valores indenizados são de 40 mil dólares por pessoa para morte, despesas médico-hospitalares e/ou danos pessoais e de 20 mil dólares por danos materiais para terceiros. Para os honorários dos advogados limita-se a 50% do valor da indenização paga ao segurado.

Agora que sabemos o que é o seguro carta verde, qual a sua finalidade e quais as coberturas oferecidas, só resta saber qual o momento ideal para contratar esse serviço.

Quando contratar o seguro carta verde?

Realizar uma viagem com os amigos ou com a família requer muito planejamento, ainda mais se a viagem for de carro. Os cuidados e preparativos antes da data devem ser minuciosamente verificados.

Além dos locais para visitar, data da viagem, quem será o motorista, os locais de parada e a revisão do carro, quando se trata de uma viagem para os países da américa do sul a carta verde tem que estar em mãos no dia partida.

Para realizar o seguro carta verde entre em contato com a sua seguradora e pergunte sobre esse serviço. Nesse momento é importante ter as datas da viagem definidas, pois o seguro carta verde considera o período de circulação do veículo no país visitado. O período máximo desse seguro é de um ano.

É importante realizar a solicitação antes da data da viagem para evitar possíveis atrasos na emissão do seguro, pois em muitos casos a liberação só é concedida após a confirmação do pagamento.

E se você acha que esse tipo de serviço não é necessário, saiba que a falta do seguro carta verde impede a circulação do veículo no país que está sendo visitado. Para não ter uma péssima experiência na sua viagem, inclua no seu planejamento esse serviço.

Se você pretende realizar no próximo ano uma viagem pelo Brasil, confira as nossas dicas para uma viagem de carro segura e se a ideia é ir um pouquinho mais longe, adicione na sua lista o seguro carta verde. 

Para a sua próxima viagem pelo Mercosul não se esqueça de fazer uma cotação para o seguro Carta Verde e boa viagem.

Associação de seguros, você sabe o que é?

Você já deve ter ouvido falar de seguros, principalmente por aqui, mas e associação de seguros? Esse assunto é novo para você? Então você está no lugar certo!

Os seguros e as associações de seguros são serviços diferentes, mas muitas vezes podem ser confundidos e soam como se fosse a mesma coisa. Para você entender melhor sobre esse assunto, e não cair na conversa de qualquer um, trouxemos algumas informações importantes.

Nesse post iremos explicar o que é associação de seguros, se esse serviço é legal perante a lei, qual a diferença entre ele e um seguro normal e quais pontos para prestar atenção na hora de contratar o serviço. Acompanhe!

seguros ou associações de seguros?

O que é associação de seguros?

Associação de seguros também pode ser conhecido como proteção veicular, proteção patrimonial ou outro nome que remete ao objetivo do serviço. Diferente do que muitas pessoas pensam, as associações de seguros não são comercializadas por seguradoras.

As associações de seguros normalmente funcionam através de uma rede de benefícios.

O funcionamento das associação de seguros é através de um grupo de pessoas que compartilham as despesas que podem acontecer em diferentes situações, como roubo, furto, acidentes ou colisões de veículos. 

A situação vai depender do objetivo da associação de seguros e esse valor é dividido entre os associados.

Cada associação deve ter um estatuto e rede de benefícios para atender a necessidade e o objetivo do associado. Caso for contratar um serviço de associação de seguros é importante verificar esses documentos e pesquisar sobre a empresa para não correr o risco de contratar um serviço indesejado.

As associações de seguros são ilegais?

Esse é um ponto bem importante sobre as associações de seguros, muitas pessoas ficam em dúvida se esse serviço está dentro da lei. As associações para proteção de interesses mútuos é permitida e regulamentada pela Constituição e Código Civil.

Porém elas não são regulamentadas pela Superintendência de Seguros Privados, (SUSEP). Órgão responsável pela autorização, controle e fiscalização dos mercados de seguros, previdência complementar aberta, capitalização e resseguros no Brasil ligado ao Ministério da Fazenda.

Lembrando que as empresas que vendem esse tipo de serviço não são seguradoras, mas eles podem ser comercializado no Brasil.

Qual a diferença entre seguros e associação de seguros?

Por serem serviços diferentes, os seguros e as associações possuem características próprias. Confira aqui algumas das diferenças entre esses dois serviços.

  • Apólice: as associações não emitem apólice. Nas apólice constam detalhadamente os direitos e deveres tanto do segurado como da seguradora.
  • Cobertura: nas associações as coberturas normalmente são as mais comuns, já nos seguros você pode encontrar coberturas específicas. 
  • Pagamento: no caso das seguradoras a indenização deve ser realizada em até 30 dias conforme a lei. No caso das associações vai depender do valor disponível em caixa.

Lembrando que, para cada seguro e para cada associação deve ser levado em considerações as regras das empresas fornecedoras. De uma empresa para outra, mesmo se for o mesmo tipo de serviço, podem haver características diferentes.

O que ficar atento na hora de contratar um seguro ou uma associação?

No momento de contratar um serviço, seja ele qual for, é indispensável ler e compreender todas as cláusulas. Antes de assinar qualquer contrato deve ser sanado todas as dúvidas e entendido como irá funcionar os processos daquela empresa.

Esse já é o primeiro passo para não ter dores de cabeça no futuro. Confira quais outros pontos também são importantes no momento da escolha do serviço.

Para associação de seguro:

  • Procurar o estatuto e registrado em cartório da associação;
  • verificar se o CNPJ está regularizado;
  • verificar se existe uma sede física e visitar a associação;
  • verificar com amigos, conhecidos e relatos na internet sobre a associação. Nesse ponto é importante destacar que a pesquisa deve ser bem aprofundada, pois você pode encontrar casos que o associado não teve sucesso.

Já no casos das seguradoras também é importante verificar alguns pontos, são eles:

  • Verificar se a seguradora é registrada na SUSEP;
  • qual o valor da franquia;
  • entender o que o seu seguro cobre;
  • pesquisar sobre a reputação da seguradora também. Conhecer o relato de outras pessoas pode te prevenir de dificuldades futuras.

E por último, faça uma comparação entre as propostas, seja elas de associações ou seguradoras. Somente assim você irá encontrar o serviço que melhor atende a sua necessidade sem passar por dificuldades no futuro. 

Gostou de aprender um pouco mais sobre o mundo dos seguros? Agora você já sabe o que é associação de seguros e não irá passar por dificuldades na hora de adquirir o serviço. Se você procura por um seguro, entre em contato com a Sorella e faça uma cotação online.